sábado, 31 de outubro de 2009

Recebemos estas denuncias e Reclamações, e esperamos que o leitor participe, com sugestões e denuncias.





















Anônimo disse...

QUERO SABER O QUE O SECRETARIO DE OBRAS ESTÁ ESPERANDO PARA TAPAR AS CRATERAS QUE ESTÃO AUMENTANDO EM BOCA DO MATO NA LADEIRA DO IMPERADOR OU MEIA DUZIA DE MORADORES COMANDADA PELO PEDAGIO VÃO CONTINUAR IMPEDIDO

Anônimo disse...

UMA VERGONHA ANTES DO PEDAGIO A LADEIRA DO IMPERADOR ERA TOMBADA PELO PATRIMONIO DA HUMANIDADE HOJE ESTÁ TOTALMENTE ABANDONADA SERA QUE OS GOVERNANTES NÃO ESTÃO VENDO ESSA VERGONHA OU ESTÃO LEVANDO GRANA CHEGA DE TANTO ROUBO E FALTA DE VERGONHA NA CARA

Anônimo disse...

Parece que Papucaia não pertence ao municipio de Cachoeiras,acho que a secretária de educação não sabe que a cicdade não foi emancipada,na mesma data que acontecerá a festa da goiaba, acontecerá a festa dos professores,e os funcionários que estarão envolvidos na festa da goiaba?Como ficarão? No minimo é um desrespeito a organização da festa e aos moradores de Papucaia.


Anônimo disse...

É realmente tenho de concordar com você no post acima:"Na cidade do faz de conta político onde políticos prometem que vão fazer e eleitores prometem que irão votar é difícil saber o certo,é diferenciar o certo do errado aqui é quase impossível, onde leões da sonegação enriquecem e contribuintes honestos pisam no esgoto é dificílimo discutir o certo e o errado talvez os políticos de cachoeiras de macacu estejam na vanguarda da desonestidade todos sabemos todos vemos porem todos fingem não ve". A única discordância minha é quando você se refere a uma suposta nova eleição que a oposição inflama ao povo sem resposta deste. Ao contrário, acredito que uma grande parte da população cachoeirense está, de alguma forma, atenta aos fatos acontecidos no último pleito que acabaram por manchar a nossa história. Embora não tenha nenhum vínculo com qualquer dos da "oposição",pois encaminhei minha esperança de dias melhores ao candidato que aí está, sinto-me, depois que fui ao Cartório Eleitoral e comprovei as denúncias de desmandos cometidos pela sua coligação no último pleito eleitoral, sinceramente, quero que sejam apuradas e os autores punidos!. Nisso, como cachoeirense,solidarizo-me aos da "oposição". Não queremos uma Cachoeiras entregue aos "vendilhões do templo" que só pensam em sí. Olha o exemplo do Lula com o Sarney. O povo cachoeirense verá, em breve, a verdade dos fatos. A Justiça já começa a chegar em nossa terra. Verdade disso está nos processos que qualquer um pode consultar na internet (Tribunal de Justiça): 20080120199770 / 200801200134416 / 2008012003490-0 / 2009012002446-5, que referem-se à atos de Improbidade administrativa. Portanto, amigo, como orientação à este Blog que farei questão de estar visitando, segue a minha dica para melhorar ainda mais os seus posts: intere-se dos problemas políticos reais de nossa cidade e divulgue-os. As seções na Câmara acontecem duas vezes por semana (3ª e 5ª- 16h na OAB de Cachoeiras). Tenho certeza de que este Blog vai bombar! em nome da decência, da moral, da ética em favor da população, humilde e "gurreira no silêncio" de Cachoeiras de Macacu.




O elefante não conta com apoio por isto fazemos um jornalismo dentro de nossas condições estamos longe do ideal mais fazemos este esforço por gostarmos legitimamente de Cachoeiras de macacu. Peço que os leitores do Elefante continuem a participar com reclamações e denuncias aguardamos a sua colaboração e agradecemos aos anônimos que participaram .




O Elefante de Cachoeiras.


Preservando o Rio Macacu.






Superintendência de Rios e Lagoas (Serla) e Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente fazem operação para combater desvios de água do Rio Macacu.



Técnicos da Fundação Superintendência Estadual de Rios e Lagoas (Serla) e policiais da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente fazem neste sábado (13) uma operação para combater os desvios de água do Rio Macacu.

A prática é considerada ilegal durante o período de estiagem. O Rio Macacu faz parte do sistema Imunana-Laranjal, que abastece três cidades da Região Metropolitana.

No mapa, os pontos a serem fiscalizados foram definidos. A operação deste sábado (13) partiu de Sambaetiba, em Itaboraí, e seguiu até Japuíba, em Cachoeiras de Macacu.

No trecho de cerca de 15 quilômetros do Rio Macacu, técnicos da Serla identificaram, pelo menos, cinco desvios irregulares de água. O principal alvo da operação são os proprietários que não têm a licença da Serla para retirar água do Rio Macacu. Eles vão ser notificados.

“Em um momento de escassez, como nós temos que garantir o abastecimento no ano, outros usos, como a agricultura e a indústria, que podem ser reduzidos. É esta a ação que nós estamos tomando”, afirmou a presidente da Serla, Marilene Ramos.

Na sexta-feira (12), a equipe de reportagem do RJTV sobrevoou o Rio Macacu, acompanhada do diretor de operações da Cedae, Jorge Briard, que mostrou onde, segundo ele, há captação irregular de água.

“Uma casinha tem uma bomba com transformador puxando direto de dentro do rio. Dela sai uma tubulação lateral branca que joga na plantação, irrigando no momento”, apontou o diretor de operações da Cedae, Jorge Briard, que também identificou uma outra barragem – segundo ele, erguida irregularmente.

O Rio Macacu faz parte do sistema Imunana-Laranjal, que abastece as cidades de Niterói, de São Gonçalo e de Itaboraí, na Região Metropolitana do Rio. Com a estiagem, a rede opera com 70% da capacidade.

A Cedae informou que realiza manobras para aumentar o volume de água que chega à estação de tratamento. A companhia dá dicas para a população economizar:

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Oito municípios do estado do Rio vão distribuir folhetos sobre a nova gripe.























É mais uma ação de prevenção da doença. E foi divulgado novo balanço do Disque-Gripe. Serviço fez mais de 298 mil atendimentos.



Começa nesta sexta-feira (21) a distribuição de um 1,3 milhão folhetos explicativos sobre a nova gripe, em oito municípios do estado: Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Rio Bonito, Tanguá, Cachoeiras de Macacu, Silva Jardim e Maricá. É mais uma ação para prevenção da doença.

E foi divulgado um novo balanço do Disque-Gripe. O serviço telefônico já fez mais de 298 mil atendimentos desde que começou a funcionar, em 27 de julho. O número do Disque-Gripe é 0800-28-10-100.


Jovens são detidos com ecstasy, cocaína e LSD em rave de Guapimirim.





Quarenta jovens que participavam de uma festa rave foram detidos, neste domingo (1), em um sítio, em Guapimirim, na Baixada Fluminense. Os policiais encontraram com eles ecstasy, cocaína, LSD e lança perfume.

Os jovens foram levados para a delegacia de Cachoeiras de Macacu, onde prestaram depoimento e foram liberados em seguida. A operação foi realizada por policiais civis com apoio de seguranças do evento. Os jovens foram autuados por porte e uso de drogas.

Presos suspeitos de crime em Cachoeiras de Macacu.


A polícia prendeu cinco homens em Cachoeiras de Macacu, acusados de matar a alemã Alexandra Schleifer e a empresária Edicléia Lins Fulco.

A polícia prendeu cinco homens em Cachoeiras de Macacu, na baixada litorânea. Eles são acusados de matar a alemã Alexandra Schleifer (foto), de 45 anos, e a empresária Edicléia Lins Fulco, de 37 anos, no dia 28 de setembro.

As duas mulheres estavam desaparecidas há 12 dias. Alexandra Schleifer era alemã e vivia no Brasil há dez anos. Os corpos dela e de uma amiga, a comerciante Edicléia Lins Fulco, foram encontrados na fazenda onde Alexandra vivia, em Cachoeiras de Macacu, a cerca de cem quilômetros do Rio de Janeiro.

Os carros dela e da amiga foram encontrados queimados perto da fazenda. A polícia chegou a receber um pedido de resgate, mas a hipótese de seqüestro foi descartada a partir de contradições nos depoimentos dos quatro funcionários da fazenda.

Os quatro funcionários, que trabalhavam na fazenda há três meses, confessaram o assassinato da alemã e da amiga. Alexandra foi morta a pauladas e Edicléia, que teria chegado logo depois do crime, levou dois tiros nas costas.

José Manuel dos Santos, Josilvã Valdomiro da Silva, Marcos João de Lima e Cícero Célio de Lima vão responder a um processo por homicídio qualificado. Segundo a polícia, eles teriam sido convencidos a participar da ação por um ex-funcionário da fazenda.

José Luciano da Silva, que também está preso, foi demitido em janeiro e teria raiva da ex-patroa. “Agora eles serão presos temporariamente, enquanto vou concluir as investigações. Ao final, eles responderão por pena de homicídio qualificado, que varia de 12 a 30 anos de prisão”, afirma o delegado Milton Fabiano.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Córrego em Cachoeira de Macacu é poluído por vazamento de óleo















Foto ilustrativa.

















Vazamento de óleo atinge um córrego na zona rural de Cachoeira de Macacu, na Região Serrana do Rio de janeiro. O vazamento aconteceu num oleoduto da Petrobrás, que liga o terminal de Macaé à refinaria em Duque de Caxias.

Segundo a empresa, barreiras de contenção impediram que houvesse danos ao meio ambiente. A operação no oleoduto foi interrompida e a quantidade de óleo que vazou ainda não foi divulgada.

Chuva causa enchentes em Itaboraí e interdita BR-101



A Defesa Civil alerta para novas chuvas no fim de semana e pede que a população evite áreas de encostas. A chuva deixou rios transbordados, estradas e ruas alagadas.


Itaboraí, na Região Metropolitana, foi um dos municípios mais castigados pela enxurrada. Com a água na cintura e a neta nos ombros, um homem enfrentou o alagamento no bairro São Joaquim, em Itaboraí. Era uma travessia arriscada, e ele quase afundou na água. “Como vou levar meus filhos na escola? Tem que levar nas costas, todo dia?”, questionou um morador.

O posto de saúde e a escola do bairro foram fechados por causa da forte chuva. A água também invadiu casas. Os moradores ainda tentavam se livrar da inundação, retirando água.


Segundo a prefeitura, há 200 desabrigados. Só em uma sala de uma igreja, eram 20 pessoas, inclusive um bebê. “Foi muito rápido. A água foi subindo, e só deu tempo de correr e salvar as crianças. A chuva levou tudo que eu tinha”, contou a dona-de-casa Alecssandra Vicente.

“Nós vamos dar assistência às famílias que estão desabrigadas e tomar providências, trazendo a Secretaria de Obras de Itaboraí para poder ver o que pode ser feito neste momento”, afirmou o secretário de Governo de Itaboraí, Luiz Vieira.

Em Volta Redonda, o Rio Paraíba do Sul subiu três metros. Várias regiões foram interditadas por causa da cheia. Casas ficaram alagadas.

O Rio Aldeia Velha também transbordou e, em Silva Jardim, a força da água provocou um buraco de quatro metros na ponte sobre a BR-101, que foi interditada. O tráfego deve ser liberado só neste sábado.

Em São Pedro da Aldeia, em 24 horas choveu o esperado para todo mês de fevereiro. Houve alagamentos na Rodovia RJ-106, opção para quem não pode passar pela BR-101. O trânsito ficou parado de manhã por três horas.

Em Macaé, nove bairros foram castigados pela chuva. Nove pessoas estão desalojadas. Moradores atearam fogo a pneus e lixo para chamar a atenção das autoridades para os constantes alagamentos.

No Rio de Janeiro, na manhã desta sexta-feira, o trânsito ficou lento nas principais vias expressas. Em Laranjeiras, uma árvore caiu em cima de um carro. A rua ficou interditada para o trabalho dos bombeiros.

Segundo a meteorologia, a forte chuva de quinta-feira foi provocada por uma frente fria que chegou à Região Sudeste. O que tornou o temporal mais intenso foi a combinação entre as altas temperaturas e a umidade elevada nos últimos dias. A previsão, agora, é de que as chuvas diminuam no fim de semana e que, a partir de segunda, até pare de chover.

Sobre os protestos em Macaé, o RJTV procurou a prefeitura da cidade para saber o que pode ser feito para evitar os alagamentos, mas ninguém atendeu aos telefonemas.

Promotora eleitoral de Cachoeiras de Macacu é afastada do cargo



















o juiz da cidade afastou do processo eleitoral a promotora de Justiça. O magistrado aceitou os argumentos do candidato derrotado de que a promotora teria influenciado o resultado das eleições

Cachoeiras de Macacu, na Região Serrana, tem 53 mil habitantes. O turismo é um dos pontos fortes da economia da cidade. Na última eleição, o candidato que venceu a disputa no segundo turno teve menos de 600 votos de vantagem.

Mas a Justiça Eleitoral investiga se houve fraude no processo. Há suspeita de compra de votos, entre outros crimes, e pode haver uma nova eleição no município.

Em Cachoeiras de Macacu, em uma decisão inédita, o juiz da cidade afastou do processo eleitoral a promotora de Justiça. O magistrado aceitou os argumentos do candidato derrotado de que a promotora teria influenciado o resultado das eleições.

“Captação ilícita de sufrágio, abastecimento, transporte de eleitores, compra de voto, boca-de-urna e ainda mais. É uma infinidade de crimes que, em nenhum deles, ela tomou uma medida legal cabível”, denuncia a advogada do candidato derrotado, Etiene Melo.

Na decisão, o juiz Daniel da Silva Fonseca afirma que, desde o dia 1º de janeiro, a promotora está incompatibilizada com a função, já que teve pessoas próximas nomeadas na atual prefeitura, e reconhece o impedimento e a suspeição da promotora Beatriz Leal de Oliveira por abuso de autoridade durante as eleições.

A nossa equipe procurou Beatriz Leal na sede do Ministério Público. A promotora já sabia que a Justiça tinha decidido pelo afastamento dela do processo eleitoral, mas não quis se pronunciar: “Eu não quero falar nada, obrigada”.

O prefeito eleito Rafael Miranda negou que a promotora tenha beneficiado sua candidatura e afirmou que todos os funcionários foram nomeados por terem capacidade para o trabalho.

O coordenador eleitoral do estado, promotor Marcos Ramayana, disse que a denúncia é grave. “É uma ação de quem perdeu uma eleição que os fundamentos têm que ser avaliados, porque não se pode também acusar um membro do Ministério Público sem ter uma prova mais concreta. Mas se essa acusação for avaliada pela Corregedoria e se chegar a um fundamento efetivamente real sobre isso, haverá as punições previstas pela lei”, afirma o promotor.

Além de Cachoeiras de Macacu, as eleições estão sob suspeita em, pelo menos, outros seis municípios: Carapebus, no norte do estado, Santo Antônio de Pádua e Bom Jesus do Itabapoana, no noroeste, em Guapimirim e Magé, na Baixada Fluminense, e em Cabo Frio, na Região dos Lagos.

“O mais comum foi a propaganda irregular através de carro de som e o abuso do poder econômico e político, mais o político, principalmente dos prefeitos que tentaram a reeleição”, explica Marcos Ramayana.

A Associação do Ministério Público do estado enviou uma nota onde considera que houve violação dos direitos da promotora Beatriz Leal de Oliveira. Segundo a associação, ela não foi ouvida pelo juiz antes do afastamento para apresentar uma defesa.


O Elefante de Cachoeiras da o direito de resposta, Qualquer pessoa que se sinta lesada quanto a qualquer tipo de acusação entre em contato.

Nalddy6@hotmail.com